sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

ESCRITORES E DEMÔNIOS

Hoje eu fui a uma livraria na região central da cidade e lá comecei a ler as orelhas dos livros que foram lançados recentemente. Chamou a minha atenção o número de obras que tratam de demônios. Ali mesmo questionei em pensamento esse gosto que grandes escritores, alguns consagrados, outros começando agora na carreira literária, tem por esse ser tão misterioso e tão presente nas ficções.
Eu não conseguiria dar um titulo agora, mas me perguntava o que leva os escritores a adorar essa figura tão odiada pela humanidade. Não cheguei a conclusão nenhuma e nem haveria de chegar porque se trata de um fenômeno inexplicável.
A única certeza que tive ao sair da livraria é a de que todo escritor é acompanhado por demônios. E eles nem são tão maus como prega o cristianismo. Pelo menos para os que exercem a arte da escrita.
São essas criaturas perturbadoras que tomam os corpos e tentam desvendar o misterio, construindo suas maldades, suas tragédias nietzchiana, seus amores, paixões, sexualidades, desejos, mortes e enfim, mostram a vida para os escritores e esses, empossados da missão de desvendar o mistério da vida, ouvem seus demônios, como quem ouve grandes amigos.