quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

ALUCINAÇÃO

Sonhei que duas bandas de rock in roll que fizeram grande sucesso nos anos 80 se apresentavam numa espécie de casasão antigo, onde o número excessivo de pessoas fazia aumentar o calor. Era um espaço dedicado a samba e pagode, mas as bandas eram Skid Row e Guns n' Rose e eles tocavam a bossa nova de Jobim.
Naquele instante eu queria ouvir alguma coisa mais alegre, mas achei interessante aqueles cabeludos fazendo um som puro e tranquilo, com letras serenas. Percebi que eles envelheceram e até os cabelos loiros, longos e mal tratados, estavam descolorindo, ganhando uma tez esbranquecida.
Passei a pensar no que houve. Dois grandes grupos barulhentos que com o tempo resolveram mudar seus estilos musicais, ou seria apenas uma homenagem aos 50 anos do gênero musical ue se consagrou como o verdadeiro som brasileiro pelo mundo afora?
Eu bebia cerveja e com muita estranheza me entregava aquele momento ao som sofisticado das batidas do violão, da pureza do piano e a nada convencional leveza da bateria num ritmo único sem grandes evoluções. Me agradava aquilo tudo, mesmo que fossem Skid Row e Guns N´Rose.
Não era a belíssima November Rain, mas a doçura de Avião que me fazia bem naquele momento. As pessoas que compunham a platéia também gostavam do show. Muito mais familiarizados com o show do que eu que me sentia um estranho no ninho.
Foi então que percebi que eu envelheci e meus idolos também envelheceram. Mas não foi um envelhecer no sentido ruim da palavra, mas sim, no sentido de apurarmos cada vez mais nossos conhecimentos e nossos gostos. É a evolução e não a revolução de outrora.
A tendência de buscarmos o aprimoramento naquilo que fazemos e a disposição que temos de nos adaptar a mudança dos tempos e ele é infinito.