quarta-feira, 12 de agosto de 2009

ESSE AMOR É DE TERCEIRO MUNDO



De cima de você eu via
Não compreendia, sequer entendia
Um minuto, um segundo...
Esse amor é de terceiro mundo!
Esse amor é de terceiro mundo!

Num momento de lucidez
Em meio a embriaguez
Me via perdido em cima de você
Atado pelo desejo descontrolado de querer ser
Dois corpos fundidos na ardente fricção
Subitamente enlameada por socos da aflição
Eu desejava sair desse submundo
Porque já disse
Esse amor é de terceiro mundo!
Esse amor é de terceiro mundo!

Chega de movimentos
Respeite meus sentimentos
Não me responda com seu prazer
Não quero seu prazer
Espere! Ouça o meu...
Respiro profundo
Me deixe fugir
Esse amor é de terceiro mundo!
Esse amor é de terceiro mundo!

Estonteado, de cima de você eu via
Tudo misturado no que eu sentia
Não sabia o que eu vivia
Mas tudo o que eu não queria
Nesse segundo de razão, era sair do meu mundo
Para viver esse falso amor de terceiro mundo!
Esse amor é de terceiro mundo!
Esse amor é de terceiro mundo!