domingo, 19 de agosto de 2007

ESCRITOS

Hoje acordei disposto a mudar. E já comecei arrumando os papéis, jogando um monte de tralhas fora. Por um momento chorei ouvindo uma música que muito me emociona. Sabe aquelas que te lembram algo ou fato, pois então, foi justamente uma dessas que tocou no rádio no momento da minha arrumação. Mas o choro cesssou com a música e tão logo para me recompor, coloquei uma dance music, daquelas que adoro ouvir nas baladas paulistanas e me esqueci do choro.

Uma situação engraçada. Tenho o estranho hábito de dormir ouvindo rádio. Geralmente deixo em rádios de noticiário, quase sempre na rádio Eldorado AM, uma das minhas preferidas nas madrugadas. Mas, hoje de manhã ao contrário de acordar com as principais noticias do dia, acordei embalado numa bela canção fúnebre de Chopin. Gostei tanto da música que resolvi ficar mais um pouco na cama e apreciar aquela delicadeza. O que me fez dar alguns cochilos novamente e um sonho maluco me tomou a consciência ou a falta dela. Sonhei que estava em um velório, depois noutro e enfim, despertei assustado e a música ainda tocava. Eu hein! A gente as vezes parece que somos doidos.

Há dias que sou tomado por um sentimento de dúvida. Tenho conhecido muita gente legal nesses período. Tem gente de todos os tipos e tribos. Ao mesmo tempo que me bate a saudade dos amigos que não estão próximos, aquele de Curitiba, sabe?..É claro que não! E nem sou louco de botar o nome dele aqui no blog sem autorização do mesmo. Mas é uma das poucas amizades coloridas que tenho. Quando estou com ele, levanto suspeitas da vizinhança, dos outros amigos que ficam enciumados, dos que me odeiam e que me taxam de "bicha, viado, maconheiro e sei lá mais o quê", mas que também não me interessa essas opiniões alheias, pois se é pra ter um grande amigo como ele, prefiro ser visto com todos esses estigmas mesmo já que não vejo nenhum deles como ofensivos e pra ser sincero, acho que prefiro ser indefinido mesmo e curtir os bons momentos que este grande rapaz curitibano me oferece nos tempos em que passa em Sampa. E a boa noticía para todos, ele está voltando de Curitiba, o que me obrigará a dar uma nova festa, daquelas que também levantam suspeitas, em comemoração ao seu retorno ao chão paulistano.