sábado, 17 de outubro de 2009

RETROSPECTIVA 2007.


Eu gosto muito de reler os textos antigos deste blog, porque eu procuro me lembrar porque escrevi determinada coisa e rememorar algumas situações que me trazem saudades ou divertimento. E para não deixá-los mortos na memória, resolvi postá-los novamente na íntegra com a data de postagem. Mas não se assustem porque não será diariamente, apenas aos sábados pela manhã.

NA FALTA DO QUE DIZER

Como é difícil manter um blog sempre atualizado com textos interessantes. Nem sempre os blogueiros de plantão estão inspirados a ponto de escreverem o que seus leitores querem ler. É o caso deste pseudo escritor.
Busco com afinco dentro do noticiário que leio diariamente, dos bate papos entre amigos, das cenas que vejo na tv ou na internet ou nas caminhadas pelas ruas da cidade, algo que seja digno de um bom texto opinativo. Nem sempre consigo interligar o que acontece a minha volta ao que penso sobre eles. Pura desatenção ou desinteresse pelo que meus olhos vêem. Paro e penso porque devo ter opinião formada sobre tudo? Porque sou jornalista, logo respondo, e como bom jornalista tenho obrigação de conhecer, analisar, entender, interpretar e consequentemente passá-lo adiante para outras pessoas para que sirva de contribuição á chamada formação de opinião.
Mas sinto que as coisas não estão tão importantes a ponto de merecer uma linha sequer de reflexão. Está tudo muito monótono. Há uma crise de fatos interessantes no mundo. Todos os dias, são as mesmas coisas, as mesmas opiniões e assim por diante.
Por isso não tenho conseguido deixar meu blog atraente e dinâmico. Para não deixá-lo perdido no mundo virtual, virei sempre que possível para dizer o que todos dizem, mesmo que seja para reclamar das faltas de inspirações.
Acabo de criar um poema e em breve publicarei neste querido espaço. Aguardem


texto publicado em 27/11/2007.