sábado, 8 de dezembro de 2007

MINHAS MANIAS

Todo mundo tem manias. E eu como faço parte deste mundo, não posso deixar de tê-las. Tem manias que eu adoro e não quero perdê-las nunca, mesmo que tenha que pagar caro por elas. Uma dessas é filosofar enquanto tomo banho. A água me renova e me faz sair sempre melhor e esperançoso da vida. Me encho de desejos dos mais diversos, me livro das idiossincrasias e dos medos, tomo coragem, e o ruído da água que bate na minha cabeça e desce molhando todo o corpo é terapêutico. Por isso passo horas embaixo do chuveiro.
É bem verdade que muitas vezes sinto culpa pelo exagero que acarreta resultados nada positivos na natureza e o meio ambiente tá na moda. Ser ambientalista, falar do aquecimento global, do plano de kyoto, do desmatamento da Amazônia, enfim, estou ciente de que essa minha mania ajuda a acabar com a água do planeta, mas peço perdão aos ambientalistas e solicito ajuda aos deuses para que voltemos ter água em ambundância, para que eu possa continuar com minha mania banhística terâpeutica e filosófica que tanto me fortalece para que eu supere minhas constantes crises e acredite sempre mais na vida.