quinta-feira, 5 de julho de 2007

SAUDAÇÕES AOS NOVOS AMIGOS NO NOVO ANO DOS MEUS VINTE E NOVE

Nos últimos dias, tenho vivido momentos de grande reflexões como já anunciei aqui no blog em posts passados. Um deles se refere aos recèm-chegados vinte e nove anos e a cobrança de se posicionar diante da vida. Mas não é bem disso que eu vim falar, muito embora esse assunto me torture em doses homeopáticas.
O objetivo maior deste escrito, é discernir quanto a necessidade que tenho em obter novos amigos sempre. O ano dos meus vinte e oito, foi um ano especialmente rico no que se refere novos amigos.
Minhas amizades são muito díspares e contrastantes, o que dificulta por exemplo uma festa de aniversário única. Mas me permite ciclos de conversas das mais variáveis, das mais cultas as mais picantes, da vida política nacional á vida alheia do meu vizinho ( este é claro em medida equilibrada, porque senão gera assunto além da conta, ou seja, fofoca).
Eu quero saudar a vinda dos novos e grandes amigos que abrilhantaram o ano dos meus vinte e oito anos que se findou a pouco e que certamente fará com que o ano dos meus vinte e nove sejam muito mais felizes e confortáveis, sejam pelos momentos filosóficos, culturais, comportamentais, de baladas e bebedeiras. Não citarei o nome de nenhum em especial, para não cometer injustiça com outros.