segunda-feira, 18 de junho de 2007

UM DIA EMBURRECIDO

Acordei hoje bastante emburrecido. É mais um daqueles dias em que a mente não assimila muito as informações que capta. Tentei ler o jornal do dia, mas as palavras embaralham, talvez tragam as mesmas novidades de ontem, ou seja, o esperado arquivamento pela Comissão de Ética do Senado, do processo contra o senador Renan Calheiros. O esperado depoimento de Claudio Gontijo, enfim, o esperado telefonema da mulher de cafeteira, agradecendo o arquivamento. Enfim, a desmoralização do Senado Federal.
Confesso que me causa certo enjôo tantas denúncias, tantas suspeitas, tantos indícios, tantos nomes envolvidos e tantos parlamentares se refugiando sob as sombras do poder. Embora reconheça necessário e faço até aplaudir as tantas operações da Polícia Federal, e seus nomes luculentos, Navalha, Xeque-Mate, Themis, Anaconda, e por ai vai!
Mas acho que a imprensa brasileira, sempre muito disposta a botar emoção naquilo que deveria ser insento de qualquer sentimento, extrapola na cobertura desses fatos e as vezes tem vontade de fazer o papel da Policia Federal, faz uma espécie de jornalismo investigativo de apelação. Só falta ela mesmo prender os suspeitos.
E massifica tanto essas ações a ponto de deixar de lado outras noticias que deveriam ter destaque também. Enfim, para terminar, hoje acordei emburrecido, sem compreensão das coisas e provavelmente, se eu continuar a escrever este texto, ele não terá fim, porque não conseguirei concluí-lo. Por isso, paro por aqui e vou ler o Mário Vargas Llosa.